terça-feira, 11 de março de 2008

Mendicidade


Mendicidade

Nas linhas traçadas
nas mãos descarnadas
que estendem os homens
no rés das calçadas,
não passam estradas
futuro ou ventura.
Noite, vento e trovoada,
ir adiante sem quem se importe.
No caminho um desalinho
e posto - topar com a morte.
Sussurra o povo dividido
entre a “dor” necessária e o alívio:
-nossa! Esse teve sorte.



Sônia C. Prazeres

3 comentários:

Bel disse...

Gosto muito de te ler, amiga.
Uma pena não te ver mais no orkut.
Espero que esteja bem e que continue escrevendo suas lindas poesias que tanto me tocam.
Um beijo carinhoso.
Bel

RABISCOS DIGITAIS disse...

Sonia
Adoro seu trabalho e vou logo avisando que irei afanar e postar em meu blog! rsrsrsrs
Depois eu trago o link pra vc!
Beijossss
Fátima

Concordo com sua amiga, vc faz falta no orkut, viu?
Volte, muié!
Obs: Esse meu blog rabisco tá fechado! São tantos...rsrsrs
Vou linkar vc assim não te perco mais! rsrs

Elza Fraga disse...

Oi, querida, consegui chegar, rsrs.
Gostei por demais. Coisas fortes as que você escreve! Um dia todos se incomodarão, se solidarizarão...
Pena que tenha que escrever - ainda - estes verbos no futuro!
Gostei de tudo o que li. Vou voltar, já favoritei o seu blog. Estive no seu espaço do Recanto também, mas preferi deixar o recadinho aqui, apesar de ainda voltar por lá também pra ler o que não deu tempo. Bitokitas e muita luz procê!