sábado, 24 de janeiro de 2009



Rogativa

Ora pro nobis, natureza nossa
Mesmo no seio da agonia em que reluta,
Que o homem, de discursos, sabe tanto...
Contenda em consciência pouca e natureza bruta.

Ora pro nobis, mãe tão desprezada
Por tantos que, de consciência tem tão pouco
É tua a paciência de quem vem abençoando
Cobrindo de belezas quem reage feito louco.

Ora pro nobis, natureza imensa
Que traz em chagas sua própria essência,
Por conta de quem anda em desatino.

Sem ofertas, sem pudores, sem amor
Destrói o sonho em pele de sonhador
E aos poucos aniquila o seu próprio destino.

Sônia C. Prazeres

4 comentários:

anabiaetadeu disse...

Olá,Dei uma olhadinha no seu blog e gostei muito.
Também estou aproveitando para divulgar os meus, se puder dê uma olhadinha. São de receitas, outro de poesias e um pessoal.

http://keplerversos.blogspot.com/
http://keplerbomsabor.blogspot.com/
http://anabiaetadeu.blogspot.com/

atenciosamente, Ana Cláudia

Blue eyes disse...

Prazer imenso de seu contato e saber de seu blog. Vou incluí-lo ao meu para acompanhá-lo e, quem sabe, da próxima vez que vier em SJCampos possamos nos ver novamente e trocar letrinhas...

Se quiser dar uma espiadinha no meu blog: http://www.bebaldim2009.blogspot.com

Batom e poesias disse...

Cheguei ao teu blog por indicação de um amigo muitíssimo querido: José Reis de Carvalho.

Ele te chamou de poetisa "alto-astral" e está coberto de razão.

Gostei muito dos poemas que li, especialmente este soneto à mãe natureza.

Parabéns, Sonia!

Abraços
Rossana

jorge amancio disse...

Fiquei Honrado e feliz
pela participação e
pela sua estada em Brasília
Um AxéGrato
jorge amancio